Várias indivíduos ligam a palavra “tantra” à execução sexual, porém na verdade o tantra é uma filosofia comportamental. Na cultura indiana, tantra é conjunto de escrituras de autores desconhecidos, que datam por meio do século VII. Estes livros abordam, efetivamente, o volúpia, porém similarmente falam de cultura, saúde, refeição, espiritualidade e do conceito que é vontade. O propósito da filosofia tântrica é o progresso integral do cidadão nos seus aspectos físico, intelectual e alegórico.

As duas principais divindades no Tantrismo são Shiva e Shakti. Shiva é o masculino, representa a percepção público e o dom. Shakti é a feminina, espelho da assunto e da pulsão criadora. O propósito das costumes tântricas — que incluem técnicas respiratórias, dietas específicas e elucubração — é reproduzir a força da indivíduo para juntar Shiva a Shakti.

Dessa forma, o cidadão tem de prosperar por meio de e a partir de seu corpo, e não o rejeitando. Ou seja, a filosofia tântrica não vê o corpo como uma desacordo ao dom, porém efetivamente parte da expressão divina. Por exemplo, a coluna vertebral, no tantrismo, é o percurso pelo qual a força da Kundalini — a força que se instala no corpo humano no hora do surgimento — irá perfazer, da base da coluna até o cérebro, passando pelos chakras. Essa melhoria da força é ideia como parte da evolução espiritual.

o%20que%20%C3%A9%20massagem%20tantra.jpg

 

Dessa forma, no tantrismo, é necessário seguir um conjunto de código de atenção com o corpo, entre elas é preciso desistir o uso de carnes e derivados, bem como não utilizar qualquer tipo de remédio ou bebida alcoólica.

O volúpia tântrico se encaixa nessa execução como uma maneira de livrar a força e fazê-la “ alar ” por meio de dos chakras. Para que pessoas segue o tantra, a kundalini se manifesta como força sexual em seus primeiros estágios ( físico e emocional ), e em seu último estágio (o intelectual ) se manifesta como percepção plena. Não obstante, não são todas as correntes do tantrismo que cultuam a execução erótica como maneira de melhoria alegórico.

Precisamente por alimentar o corpo como uma coisa inviolável (que merece atenção e respeito ) e o etiqueta sexual como uma execução alegórico para atingir a percepção, o tantrismo não admite que nada seja realizado sem consonância.